sexta-feira, 11 de abril de 2014

Graffiti Pelo Fim da Violência Doméstica

O que você precisa saber sobre a violência doméstica contra a mulher?


Fale sem medo, porque não se pode calar diante da violência doméstica.


A Lei Maria da Penha
 em vigor desde 2006 protege a mulher que sofre violência doméstica e familiar.



Futuros Possíveis: sua atitude define seu destino
 Fotonovela

A fotonovela Futuros Possíveis retrata a história da família de Mariana, jovem que sonha em ser dançarina. Porém, Beto, seu namorado, não aceita suas escolhas. Seu irmão, Fabiano, precisa lidar com um menino que o persegue na escola e cisma em atrasar sua vida. Ronaldo, o pai dos dois, perdeu o emprego e está quase se entregando ao desânimo e à bebida. A mãe, Joice, tenta segurar a barra da família Pereira e entender o que está acontecendo para conseguir resgatar a boa convivência dentro de casa. A história dessa família prova que, mesmo diante de situações difíceis, existe sempre uma alternativa!
A fotonovela é uma iniciativa do Instituto Avon, em parceria com o Instituto Noos e o Cecip. Junto com uma radionovela de mesmo nome, ela faz parte de um conjunto de ações que buscam facilitar o diálogo e ampliar o entendimento sobre as causas e os efeitos da violência intrafamiliar.


Para ler em português, clique aqui.


Disponível também em espanhol e em inglês.


Radionovela    
Futuros Possíveis: sua atitude define seu destino

A Lei Maria da Penha
 atinge também namorados, noivos, e parceiros, assim como ex em geral, 
mesmo morando em casas separadas.


O telefone 180
 é um serviço gratuito, oferecido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Funciona 24 horas por dia, orientando a mulher a buscar apoio necessário, dentro do que existe em sua região e de acordo com as necessidades do caso. 
A ligação é gratuita e não precisa se identificar.


Faça parte desta campanha.
Diga não a violência contra a mulher.


Paz em casa, paz no mundo

 Já foi constatado que a violência traz sérias implicações para a saúde e o desenvolvimento psicológico e social das populações por ela atingida, e que suas consequências afetam drasticamente os serviços de educação e saúde em todo o mundo que, normalmente, já têm que lidar com recursos escassos. Levando em consideração que estes profissionais estão entre os primeiros a atender as vítimas da violência, a 49ª Assembleia Mundial de Saúde, realizada em 1996, declarou a violência como um dos principais problemas mundiais de saúde pública.












Alunos de espanhol no Instituto Cervantes

 visita ao Instituto Cervantes com a professora Mônica Lemos e os alunos do CE André Maurois, para conhecer um pouco sobre Frida Kahlo com a prof. dr. Begoña Sáez Martínez.
Excelente!!
 
Conferencia de la Consejería Educación "¿Por qué queremos tanto a Frida?" 
para estudiantes de ensino médio en el Instituto Cervantes de Río de Janeiro.





Begoña Sáez Martínez, Mônica Lemos, Letícia Coutada e Patrícia Condé.

domingo, 17 de novembro de 2013

Educação é tudo


Célia Carmen
Quero compartilhar com vocês o momento que estou vivendo.


Cursei o Ensino Médio no CEAM, depois de ter voltado a cursar o Ensino Fundamental depois de mais de trinta anos sem frequentar uma sala de aula. Minha formatura foi em 2009 quando eu estava com 54 anos, prestei exame para o EMEM, fui aprovada pelo PROUNI com bolsa integral para cursar Pedagogia em uma Instituição Privada. Fui selecionada também para cursar o mesmo curso no Instituto de Educação pelo SISU. Optei em cursar o PROUNI, estou no 4º período e agora para minha surpresa, fui indicada e aprovada para fazer o Intercâmbio em uma Faculdade Federal de Filosofia e Letras em Mendoza - Argentina. Viajo no final de fevereiro ou no início de março.
Vocês devem estar perguntando o porquê de uma ex-aluna querer compartilhar essa história com vocês.
A resposta é simples. 
Quero agradecer a cada professor que fez a diferença na minha formação, é graças a vocês que eu cheguei até aqui.
Vou passar seis meses me alimentando de todo conhecimento que eu puder digerir e quando eu voltar quero poder dar este testemunho para os alunos do CEAM que acham pouco provável conseguirem cursar o Ensino Superior.

MEU MUITO OBRIGADA PELO CARINHO QUE SEMPRE RECEBI DE VOCÊS. 
OBRIGADA PELA DEDICAÇÃO, PELA PACIÊNCIA, PELO INCENTIVO E PRINCIPALMENTE POR TEREM ACREDITADO NA MINHA CAPACIDADE TODAS AS VEZES EM QUE EU PENSEI EM DESISTIR.

A TIA ZILDA (mesmo sabendo que não está mais no CEAM, não posso esquecê-la)
MUITO OBRIGADA PELAS VEZES EM QUE A MINHA FOME FOI SACIADA COM A SUA COMIDA DELICIOSA.

A PROFESSORA GiORGINA CARLIN O MEU ETERNO MUITO OBRIGADA!

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Miniempresa Eco Light



https://www.facebook.com/ecolightceam

Eco Light é uma empresa estudantil que fabrica produtos criativos e ecologicamente correto.

Eco Light uma das três miniempresas do RJ indicadas para o prêmio SEBRAE.
Equipe Eco Light
11ª Feira de Ciências do Planetário 2013.


O objetivo da Junior Achievement é disseminar a semente do empreendedorismo entre os jovens brasileiros ainda na escola, proporcionando uma visão clara do mundo dos negócios.




Aproveitamento de folhas de árvores.


Reaproveitamento de garrafa e jornal.



 Representantes da Ecolight no programa da rádio ZoaSom.
 O Zoasom é um programa da Rádio MEC AM 800khz, em parceria com a Roquette-Pinto FM 94, 1.
Uma produção da ONG Criar Brasil.


A equipe com a profª orientadora educacional Cristina Mota.



sábado, 9 de novembro de 2013

Educando com o cinema

Danielle Kiffer
 Fotos de Divulgação
     
       Alunos do colégio estadual participam de festival de
       cinema na escola: objetivo é educar e conscientizar  

Preconceitos, discriminações e intolerâncias, que muitas vezes terminam em mortes, são comuns em nosso cotidiano, seja com alguém próximo ou em acontecimentos anunciados nas manchetes de jornais. Para que haja mais tolerância e respeito às diferenças, o professor Marcelo Andrade, que é o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), desenvolveu um projeto de intervenção pedagógica em conjunto com alunos de iniciação científica, mestrandos e doutorandos do Grupo de Estudos sobre Cotidiano, Educação e Culturas (Gecec), da instituição. 

Com a exibição de filmes sobre educação e cotidiano escolar, temas como racismo, homofobia, machismo e outras formas de preconceito foram discutidos entre estudantes do ensino médio do Colégio Estadual André Maurois (Ceam), localizado no Leblon, zona sul do Rio. “Vivemos em uma sociedade plural e é comum que diferentes correntes de pensamentos e culturas entrem em conflito. Contudo, para que haja respeito na aceitação e entendimento dessas diferenças, é preciso que os jovens sejam educados nessa perspectiva”, ressalta o professor. Além dos debates, foi criado um cineclube com 150 títulos para a escola, entre filmes e documentários, com catalogação detalhada sobre os temas abordados em cada película, para uso e escolha dos professores. O projeto recebeu recursos da FAPERJ por meio do edital Apoio à Melhoria do Ensino em Escolas Públicas Sediadas no Estado do Rio de Janeiro.

Durante a execução do projeto, foi realizado um festival de cinema no colégio. Por uma semana, foram exibidos 10 filmes e documentários: um pela manhã e um à tarde. Entre os títulos exibidos, estão: Escritores da Liberdade, filme norte-americano baseado em uma história real, que retrata o cotidiano de uma escola de um bairro pobre, dominada pela agressividade de seus alunos e descaso dos profissionais; porém, diante da atitude de uma professora recém-contratada, que inova nas formas de ensinar, aos poucos, os estudantes vão retomando a confiança em si mesmos, aceitando mais o conhecimento, e reconhecendo valores como a tolerância e o respeito ao próximo; Pro dia nascer feliz, documentário brasileiro dirigido por João Jardim que mostra o retrato da educação no Brasil, exibindo depoimentos de adolescentes de Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro que retratam a desigualdade social, a banalização da violência e a precariedade do ensino; e Meu nome é Radio: também uma história baseada em fatos reais, mostra a ascensão de um aluno negro com necessidades especiais graças ao apoio e dedicação de um professor. O auditório do colégio, que tem 2.400 alunos, recebeu por dia cerca de 100 a 200 estudantes, para exibição e debate sobre os filmes.

Antes da exibição dos filmes, Marcelo Andrade e sua equipe realizaram um trabalho de pesquisa entre os alunos do Ceam para saber como as formas de preconceito aconteciam no cotidiano dos estudantes. Para isso, uma parte do grupo de pesquisa da PUC-Rio ficou um tempo observando o dia-a-dia do colégio. “Como estudamos a educação, já tínhamos um material arquivado de observação do comportamento juvenil em outras escolas”, conta Marcelo. A partir dessa experiência, eles desenvolveram situações hipotéticas, inspiradas na realidade dos alunos, para que fossem tema de debate em grupo de estudantes de 16 a 18 anos. 

 
   
 Professores do Colégio Estadual André Maurois participam
  de oficina pedagógica promovida pela equipe da PUC-Rio
 
Uma menina da escola vai a uma festa e 'fica' com dois meninos diferentes. Na semana seguinte, essa menina é muito criticada. Seis meses depois, um menino da mesma escola vai a outra festa e 'fica' com duas meninas. Na semana seguinte, ele é muito elogiado. Essa foi uma das situações, chamadas de dilemas morais, que foram colocadas na discussão entre os estudantes. “Não queríamos dizer e nem denominar qual tipo de preconceito existia em cada situação. Simplesmente colocávamos as situações para que os estudantes nos dissessem o que pensavam a respeito. Sem um estímulo direto, muitos deles já indicavam qual o tipo de preconceito existente na história e nós os incentivávamos a dar uma solução para o problema”, explica. Depois o grupo de pesquisa realizou entrevistas individuais com os alunos, para averiguar se suas opiniões mudariam quando estivessem sozinhos. 

Com o desenvolvimento da pesquisa, Marcelo percebeu que os jovens que participaram das entrevistas e debates não se furtaram a dar suas opiniões com o objetivo de resolver os problemas propostos. “Nenhum aluno teve opiniões ou respostas vazias. Todos contribuíram e mostraram disposição para resolver os problemas”, complementa Marcelo. Outro ponto observado foi que os jovens, talvez pela faixa etária, não confiam totalmente nos adultos. “Esse ponto mostra a importância do debate entre alunos e professores, para estreitar a relação entre adultos e adolescentes”, explica.

Para os professores do colégio, o grupo de pesquisa da PUC-Rio desenvolveu um curso de formação de 20 horas, para que o corpo docente do Ceam estivesse preparado para lidar com debates tão polêmicos. Os professores iam, aos sábados, discutir textos que abordavam temas sobre preconceitos. “Os professores se mostraram muito dedicados. O intercâmbio foi uma experiência rica tanto para nós quanto para eles”, orgulha-se Marcelo, que afirma que esse tipo de ação pode e deve ser realizada em outros colégios do País, das esferas pública e particular. “O machismo, a homofobia e o racismo, quer dizer, o preconceito de uma forma geral está tão enraizado em nosso cotidiano, que muitas vezes as pessoas agem de forma preconceituosa e não têm tanta consciência disso, principalmente crianças e adolescentes. O resultado positivo que tivemos no projeto nos mostra que a educação é uma forma importante de combater e eliminar, quem sabe, o preconceito da nossa sociedade”, conclui.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Especial Semana do Professor - TV Escola

 

MARCOS FRANÇA E MARIA CEIÇA

Professora e poeta, Cintia Barreto, com os apresentadores Marcos França e Maria Ceiça.

NO ESTÚDIO COM MARCOS FRANÇA E MARIA CEIÇA

Cintia Cecilia Barreto é professora de Língua Portuguesa há mais de 11 anos no Colégio Estadual André Maurois. Trabalha os conteúdos de Língua e Literatura sempre tendo como base poesia e teatro. Com ludismo e afeto, aprende-se muito mais e melhor.

É nesta segunda, 14 de outubro, às 12h, com reprise às 20h, estarei na Semana do Professor da TV Escola.  Foi um bate-papo descontraído sobre Educação.

Vejam a programação completa...

"No primeiro dia da Semana do Professor o tema é a busca pela formação e os professores protagonistas são: João Antonio, professor de História vencedor do Prêmio Professores do Brasil e sua rotina em Guiratinga/MT no primeiro episódio da série Professores do Brasil; Carina Escabora, com a produção de vídeos na alfabetização de jovens e adultos em Barueri/SP no quadro TV Escola na Estrada; Cíntia Barreto, num bate-papo sobre a rotina do professor e a formação acadêmica."

Duração: 60'00'' minutos

 

http://tvescola.mec.gov.br/index.php?option=com_zoo&view=item&item_id=21607

 

Feliz Dia dos Professores!

sábado, 3 de agosto de 2013

ANDRÉ MAUROIS VAI AO TEATRO...

 

Nesta sexta-feira (02/08), alunos e professores do Colégio Estadual André Maurois foram convidados a assistir à peça "A Vingança do espelho: a história de Zezé Macedo" no Teatro Leblon. A peça narra a trajetória de vida e arte da atriz (conhecida do grande público pelas personagens Dona Bela e Biscoito do programa do Chico Anysio). A peça é uma grande homenagem à Zezé Macedo.

teatro 3

Alunos curtem a atuação brilhante de Betty Gofman...

Alunos

581717_10200629119911518_276063603_n

936517_10200629135471907_1839278566_n

Salete e Juliana

Juliana (da Seeduc) e Salete (Língua Portuguesa do CEAM), responsáveis pela ida naquela noite ao teatro...

teatro1

Professora Maria Salete Lopes, Professora Cintia Barreto, Diretora Adjunta Heloisa Pires e amiga.

Sonia

Professora Sônia (Música)

Cintia

Professora Cintia Barreto (Língua Portuguesa e Poeta)

teatro 2

A peça é excelente e foi, sem dúvida, uma ótima experiência artística para alunos e professores.